Resenha #228 - A Canção de Annie




A Canção de Annie

Autora: Catherine Anderson
Número de Páginas: 472

Sinopse: Alex Montgomery ficou horrorizado ao descobrir que seu irmão forçou uma moça indefesa.

Atormentado pela culpa, Alex se casa com ela e pretende criar o filho que leva em seu ventre.

A pouco tempo do casamento, Alex descobre que Annie Trimble, a filha “boba” de um juiz local, não sofre nenhuma incapacidade mental, mas sim padece de surdez.

Enquanto Alex aprende a comunicar-se com Annie, desperta uma parte inexplorada da moça e lhe mostra um mundo do amor.

* As citações nesta resenha pertencem a música Home, da cantora Gabrielle Aplin.


Eu estive muito tempo sem resenhar, mesmo com muitas leituras finalizadas. O que acontece é que de alguma forma eu me sentia presa, sem palavras para descrever as minhas experiências com essas leituras.

Hoje de manhã eu me forcei a escrever, geralmente eu tenho uma rotina para escrever e o silêncio faz parte desta rotina, mas como estava passando por um bloqueio resolvi alterar essa rotina e acrescentar música, neste intuito fui atrás de uma música que conheci há algumas semanas e não sei o que tem nesta música, mas sempre que a ouço me sinto um pouco triste e fico mais reflexiva, não que a música em questão seja triste, mas ela tem uma melodia meio melancólica e ouvindo tal música eu consegui recuperar um pouco do que eu senti durante a leitura de A Canção de Annie e graças a ela eu consegui fazer a resenhar. No final da resenha eu coloquei o vídeo da tal música.

A Canção de Annie é um livro que estou para ler a muito tempo, mas ele faz parte daqueles que sempre fico adiando. Por acaso, eu acabei lendo a sinopse deste livro e fiquei curiosa, pois a sinopse não era nada do que eu imaginava. Eu sei, eu tenho o livro e nunca li a sinopse. Eu confesso que o comprei só pela capa que é linda e pelo título.

O título me fez acreditar que a história era algo sobre música, uma música feita para essa tal de Annie, conforme eu imaginei existe música neste livro, mas de uma maneira bem diferente. A capa tem uma mulher vestida em uma roupa parecida com um kimono então eu imaginei que a mulher dessa história se tratasse de uma gueixa, mas eu estava enganada.

"Sou uma fênix na água
Um peixe que aprendeu a voar
E sempre fui uma filha
Mas as penas são feitas para voar
Então estou desejando, desejando ainda mais
Que a animação venha
É só que eu preferiria estar causando o caos
A deitar-me sobre a ponta afiada desta faca [...]"

Annie Trimble desde pequena foi tratada como doente mental e na época em que vivia ser uma doente mental era uma enorme vergonha para a família do doente. As famílias geralmente mantinham os doentes mentais em asilos, mas a família de Annie optou por criá-la, porém ela vivia praticamente escondida da sociedade. As pessoas sabiam da sua existência, mas quase não a viam e quando isso acontecia as pessoas tendiam a ser maldosas com ela.

Annie não frequentava a cidade, mas se sentia livre no bosque perto da sua casa e em um dos seus passeios acabou sendo abordada por Douglas Montgomery, um homem mimado que sempre teve o que queria na mão e se achou no direito de violentar Annie, afinal qual o problema de violentar uma demente? Para quem ela iria contar?

Realmente Annie não consegue contar o que houve com ela. Para dizer a verdade ela é tão inocente que nem entende direito o que aconteceu e só sabe que foi machucada, mas mesmo assim os pais de Annie acabam descobrindo o que ocorreu com ela e também quem a atacou.

No outro lado da história temos Alex Montgomery, um homem justo e com honra, que tem como único defeito mimar demais seu irmão mais novo Douglas. Ele não consegue se perdoar por um erro que cometeu no passado e acredita que mimar Douglas é o único jeito de se redimir, mas quando ele descobre o que seu irmão fez, percebe que desta vez seu irmão passou muito dos limites.

"Com cada pequeno desastre
Deixarei as águas se acalmarem
Leve-me a algum lugar real
Porque dizem que o lar é onde o coração se grava em pedra
É onde você vai quando está sozinho
É onde você vai para descansar seus ossos
Não é só onde você encosta sua cabeça
Não é só onde você faz a sua cama
Contanto que estejamos juntos, importa aonde vamos?"


Para reparar o dano ele se oferece para casar com Annie. Não um casamento de verdade já que Annie é mentalmente incapaz, mas um casamento de fachada para reparar a honra de Annie e sua família.

Alex e Annie se casam e no começo as coisas são complicadas, pois Annie tem medo de Alex por ele ser muito parecido com Douglas e ela não consegue entender porque seus pais a abandonaram, ela nem percebe que está casada. Já Alex a trata como uma criança e a deixa sob cuidados de uma criada.

Começamos a ver o lado da Annie na história também, ela está engordando e acha que é por isso que seus pais a abandonaram e decide parar de comer para emagrecer e poder voltar para casa. A criada que cuida de Annie começa a maltratá-la para que ela possa comer e quando Alex percebe isso ele sente-se culpado e começa a prestar mais atenção nela. E ao fazer isso Alex percebe que de doente mental Annie não tem nada, ela é apenas surda. Alex percebe o quanto Annie é inteligente, esperta e linda e todas essas descobertas mudam a história totalmente.

"Então, quando eu estiver pronta para ser mais confiante
E meus cortes se tiverem curado com o tempo
O conforto se pousará sobre o meu ombro
E enterrarei o meu futuro para trás
Vou sempre manter você comigo
Você estará sempre na minha mente
Mas há um brilho nas sombras
Nunca saberei a menos que eu tente."


Antes Annie era uma mulher mentalmente incapaz para Alex, mas agora ela era simplesmente sua linda e inteligente esposa, uma mulher por quem Alex estava sentindo-se atraído, pois antes ele sentia-se sujo por desejar uma mulher incapaz.

O problema era que Annie não confiava nele, mas ele pretendia mudar isso completamente. Ele começa a fazer de tudo para que ela tivesse uma vida melhor do que tinha antes. Ele passa a agradá-la, a lhe educar (coisa que seus pais nunca se importaram em fazer), passa a mimá-la e o mais importante de tudo, ele passa a amá-la.

O relacionamento entre Alex e Annie começa a se desenvolver e é lindo de se ver. Lógico que o começo é difícil, mas Alex tem muita paciência. Existem muitos momentos engraçados, dramáticos, momentos com muitos conflitos, momentos doces e emocionantes.


Annie nunca foi verdadeiramente amada e muitas vezes ela não se acha merecedora desse amor, mas o Alex é impressionante, realmente um homem admirável, ele demonstra para Annie o quanto ela é especial exatamente da maneira que ela é.

A Canção de Annie começa de uma maneira tão brutal que você não pode nunca imaginar o que acontece no restante da história. De certa forma eu sinto que Alex e Annie estavam predestinados.

"Com cada pequeno desastre
Deixarei as águas se acalmarem
Leve-me a algum lugar real
Porque dizem que o lar é onde o coração se grava em pedra
É onde você vai quando está sozinho
É onde você vai para descansar seus ossos
Não é só onde você encosta sua cabeça
Não é só onde você faz a sua cama
Contanto que estejamos juntos, importa aonde vamos?"

Esse livro é o tipo de livro que você lê e sai recomendando para todo mundo, até para os estranhos na rua. Eu não me sinto assim com um livro desde Extraordinário. A Canção de Annie fala sobre dor, culpa, preconceito, recomeço e amor. É uma história extremamente linda e que eu me arrependo de não ter lido antes, mas acho que tudo tem o seu momento e talvez esse foi o momento certo para ler.

Juro que se eu pudesse compraria milhares de exemplares e sairia distribuindo esse livro por aí. Então leiam A Canção de Annie e descubram uma história incrivelmente linda.

"Porque dizem que o lar é onde o coração se grava em pedra
É onde você vai quando está sozinho
É onde você vai para descansar seus ossos
Não é só onde você encosta sua cabeça
Não é só onde você faz a sua cama
Contanto que estejamos juntos, importa aonde vamos?"

E se vocês acham que eu contei tudo sobre o livro nessa minha resenha gigantesca (me desculpem por isso, mas quando eu amo um livro eu me empolgo), não se enganem pois eu não contei nem a metade do livro, tem tanta história ainda.

Leiam!! É sério leiam!


Obs: eu só conheço esse livro em versão espanhol, eu pesquisei e descobri que tem em inglês também, mas em português ainda não tem, pelo menos não achei. Acho que as editoras ainda não descobriram esse tesouro escondido.



Essa música tem tudo a ver com o livro, principalmente com o final do livro.


Porque dizem que o lar é onde o coração se grava em pedra.

11 comentários

  1. Oi! ^^
    Ainda não tinha ouvido falar desse livro. Apesar de não ser meu gênero favorito de leitura, você empolgou tanto com ele que fiquei com vontade de ler.
    Uma pena ainda não ter em português. Espero que alguma editora pense na gente que não manja de espanhol e que tem um pouco de preguiça (shame on me) de ler em inglês.

    Beijussss;
    https://facebook.com/BlogMenteHipercriativa
    http://hipercriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Eu adorei o livro, fiquei muito tocada com a história de Annie, realmente deve ser um livro bem emocionante, do tipo que eu gosto. Só fiquei triste em saber que ainda não há em português, eu até arrisco uma leitura em espanhol mas nada melhor que a língua da gente pra conseguir mergulhar bem no livro.

    luadeneon.com

    ResponderExcluir
  3. Caramba, esse livro me pareceu completamente inusitado, e como eu amo isso! Adorei sua resenha, com certeza vou lê-lo. E não deixe de escrever suas resenhas! É sempre bom praticar a escrita. ;)
    Um beijinho,
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Não conhecia o livro, mas já quero ler! Adorei a premissa e o enredo parece ótimo!
    O Alex parece ser tudo de bom e achei fofo da parte dele se oferecer para casar com ela e nunca deixar de prestar atenção nela, até descobrir que ela é simplesmente surda.
    Ótima resenha!
    Onde eu encontro a versão em espanhol?
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
  5. Oiie
    Não conhecia o livro ainda mas fiquei extremamente curiosa depois da sua resenha por abordar um tema forte e parecer uma história muito bonita, espero poder ler em breve e adorei sua resenha.

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá, não te preocupa hahaha sei bem quando o livro é maravilhosa queremos contar tudo! Todos nossos sentimentos e sensações que passamos ao ler o livro =D

    Amei e me envolvi muito pela sua resenha, com certeza será uma leitura que vou conhecer!

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  7. Olá :}

    Ainda não li esse livro, mas por enquanto não me chamou atenção. Não sei, só não fluiu no momento. Quem sabe mais para frente? Parabéns pela resenha :}

    Beijos
    www.estantedarob.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi! Não conhecia o livro, mas sua resenha me deixou muito interessada na leitura, ao que tudo indica tem uma história marcante. Adoraria ler.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  9. Ah, gente. Que livro lindo! Exceto pelo que aconteceu com a Annie. Me senti muito envolvida pela resenha e com certeza vou adquirir o livro. Ele não trata só de amor, porque se fosse simplesmente um romance eu não leria, mas fala de esperança também. Todos nós podemos ser felizes - mesmo quando as coisas parecem horríveis e infindáveis, há a luz no fim do túnel. Fiquei encantada.
    Com carinho,
    Celly.

    http://melivrandoblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Me apaixonei pelo livro na sinopse dele, e depois de ler a sua resenha, eu realmente me animei com a leitura. Este parece ser um daqueles livros emocionantes, resta saber se eu vou gostar da narrativa e do enredo em si.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Ana, tudo bom?
    A premissa do livro é bem tocante e fico imaginando o que você sentiu ao lê-lo. Ainda mais porque comparou com Extraordinário. Porém, acho que não leria por causa do abuso que acontece. Me sinto mal com essas coisas.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir